sexta-feira, outubro 20, 2006

Colombia movie (...and i dont wanna live this life)



A vida na minha cidade é uma coisa infernal, andar nas ruas é um martírio. Fica-se com a impressão de que todos estão tramando contra você, e se estiver chuvendoo desespero aumenta e faz você querer só correr pra casa.
Quarta-feira, junto com a chuva e seus trovões, ouviram-se tiros de revólver. Era o imbecil do Julinho puto da vida por ter perdido sua garota para um cineasta colombiano famoso. Julinho era um cretino viciado em heroina e tentava acertar ratos com seu 38 todo esculhambado.
Quando a polícia apareceu a rua já estava tomada por um aguaceiro. Noite alta, pra lá das dez. O barulho dos pneus dos carros causavam um terrível incomodo em sua cabeça. Como se ele tivesse inalado meio litro de benzina e estivesse conhecendo o mundo de desenho animado. Julinho apertou o gatilho do 38 contra sua cabeça. Mas o desgraçado não morreu e vive em cima de uma cama cuidado pela mamãe. Ela está sempre lá pra dar comidinha e lhe aplicar aquelas agulhadas imbecis
Julinho, seu estúpido, vai queimar no inferno. Como você pode fazer isso a su madre? A SU MADRE? No se pode hacer uma cosa dessas a uma madre, meu querido.

Sou um puta cineasta. Tenho uma moral de king kong e moro com uma garota suburbana de 15 anos. Chama-se Clarice e eu fiquei de lhe dar uns belos silicones ainda esse ano.
Eu estava bebendo e conversando com uma amiga e não aceitava a presença de Clarice no apartamento enquanto estivesse acompanhado. Quando ouvi a gritaria lá embaixo me debrucei na janela para saber o que era e vi um garoto, magérrimo e esfarrapado Clarice! Clarice! O garoto tinha um pacote. Minha amiga saiu correndo e mandou o garoto embora, não sei quem ele era mas fiquei com ciúmes. Ouvi tiros. Três tiros, para ser preciso. Olhei de novo e o garoto havia acertado a menina, ambos estavam mortos na rua. Tinha polícia ao lado dos corpos.
Certamente foi a policia quem atirou

13 comentários:

cara de anú disse...

Uou, faz um tempim que eu não venho aqui, né?
Gostei do texto, sua cabeça deve viajar muito pra sair umas coisas dessas rs. Te imagino falando e escrevendo, sem pensar.

cara de anú disse...

Aaah sim... que diabos de foto é essa?!

Luke disse...

Amei sua crônica, de cabo a rabo.
Tão bem construída, algo cinematográfico... Acho que o cineasta descreveu mto bem, quadro a quadro...

Até eu senti a benzina entrando pelas narinas...

kinto disse...

eu era um cara chamado Jarbas até levar um tiro de estilingue (de origem desconhecida) e escorregar com a cabeça na guia... hoje eu to na fila de espera pra voltar pra terra e quem sabe me vingar o puto vadio que me estilingou!

cof cof cof
tempos obesos

Samuel Pelegrini disse...

E vc continua escrevendo muito bem, como sempre, minha querida! :)Adoro vc!! ;)

Bjs!! See ya!

Luv,

Samuel

Leelow disse...

Sinistramente interesante
esta eh a vida deste ser infeliz que se recusa a crescer e viverá continuamente como um filho de sua madre
e tudo se perdera mais uma vez pq ele simplismente quiz assim
no fundo tudo faz sentido
soh quem nao quer perceber nao aguenta a realidade de viver uma vida vivida por nós mesmos.

Dimmy disse...

Hm... história mó triste. Tá escrevendo cada vez melhor, Fells! Gostei mesmo! Bessos =***

gabriella disse...

julinho era doente né? só pode, coitado.
e coitada mais ainda da menina.

o que o cara tinha no pacote? droga?


gostei (:

Erasmo disse...

Fells me surpreende em cada conto que escreve, ma verdade em cada frase, na colocação exata de cada palavra. Sua narrativa nos faz viajar, percorrer o seu imaginário e como se olhasse nos olhos de cada personagens e sentisse o pulsar do coração...nos transmutasse para a historia e compartilhasse da mesma emoção.
Parabéns.

Sara disse...

"Sou um puta cineasta. Tenho uma moral de king kong e moro com uma garota suburbana de 15 anos"...Não digo mais nada.

=}}

vetruviano pscodelico disse...

Não me lembro muito bem qual foi o texto que comentei na outra vez, mas me lembro de vc e de ter te falado sobre a realidade. de fato a realidade é algo encantador! mas somos nos quem a distorcemos(ou construimos) ela e parte de nos!

Walter Jr disse...

- Tire as minhas fotos do seu álbum. Falou e foi dormir.
Acabou, ele teve a certeza. Que porrada!
Foi pro computador. No perfil dela viu o estado civil: solteira. No álbum nenhuma foto dele, mais.
Ela morreu dormindo. Ele chorando. A página do orkut inundava a sala de azul. Tinha polícia ao lado dos corpos.
Certamente não foi a policia quem atirou...Ou foi?

thiago badaro disse...

a policia e tao ma a de boa atirar em putas e pecado elas dao um bme pra sociedade ja tirar em drogados e um alivio pros coitados melhor qualquer um q morre fica alivia do mas como sou budista infelizmente reeencarno sempre. Droga q ria ser cristao nao espirita pq tipo eu morria e ia pro inferno de uma vez XDDDD legal o texto