quarta-feira, maio 17, 2006

Entre o Louco e o Cadáver



Hoje vamos nos encontrar no topo daquele prédio,
Vou me jogar,
Vou te empurrar,
Ou vamos nos abraçar e pular.
O menino louco procura um hospital,
A menina feia faz muitos planos,
Eu apenas escrevo com meu próprio sangue,
Celas vazias,
Lendas reais,
Letras escarlates,
Espectros no portão,
Devo sair?
Aonde ir?
Ao jardim noturno conversar com o dicionário
Ou ao planetário?
Noites apocalípticas,
Enquanto o asfalto molhado transpira lamentações,
Saberemos o que fazer?


O Anjo Vermelho, que eu adoro. mas ele gosta mais de verde-oliva
e ele disse:
- é pq estava tão discontente com as coisas...


Não anjo, a gente está é muito feliz, pq a gente se ama

7 comentários:

Fidel Curtis Rock disse...

nunca consegui ser o que quis,queria ser um anjo verde-oliva,mas td bem...
temos um ao outro...

Tardes descoloridas,
Quadros,plásticos,quadradros
Famílias,armadilhas,lágrimas,
Abraços,abismos,retratos

Sangue sobre o papel.

bjo,love

Sheldin Klytemnestra disse...

um novo Lord Byron nasce!!

Fausto Alegurínn disse...

Lindo...

Tenho medo de postar minhas poesias lá.


Sobre meus textos, eu costumo resumí-los ao postar...
Nunca coloco eles inteiro e não sei o porquê disso.

Beijo.

Fausto Alegurínn disse...

Poxa, ficou muito bom o que você escreveu... Já li umas quatro vezes. ^^

doug [cyber_angel] disse...

odeio subjetividade;
nao tenho olhar artistico e nao entendo a maioria das coisas.
mas pelo menos as imagens que esse texto produziu em minha mente foram bonitas.

beijos!

Manu disse...

Foi voce que fez esse poema né? x]
Pra variar eu nao consegui pensar o.o

Mas gostei dele...

Fells disse...

Gente, esse poema quem fez foi o "Fidel Curtis Rock" o Felipe.