segunda-feira, março 26, 2007

Brazilian dream?


Uma das maiores preocupações de jovens como eu, de classe média, sendo ela alta, média ou baixa, é ser incorporado no mercado de trabalho. Agora eu pergunto : "E se depois de formado e pós-formado, estiver desempregado?". Não há solução muito lógica para entender como diplomados chegam a concursarem postos públicos como garis para tentarem sobreviver na econômia pífia nacional. É tanto medo da nossa classe que muitos já alegam querer abandonar o país por falta de perspectivas.


Eu, por exemplo, sou um deles. Além de ter morado fora do país por uns tempos, penso que apesar de ter minha família aqui, ter minha vida por aqui, talvez isso não durará por muito tempo. Receio que o mercado nacional estará cada vez mais escasso e os salários cada vez mais ridículos. Qual a solução? Sair do país para ganhar a vida fora.


E muitos outros da minha idade e classe social dividem essa mesma opinião. Temos patriotismo fraco ou nulo, dependendo boa parte das vezes do dinheiro dos pais e cursando uma faculdade já anseando pra o seu diploma ser preparado. Muitos de nós começamos a nos acomodar e depois quando saímos da universidade, o mundo é cruel e emprego que é bom, não há.


Não pertencemos ao Brasil. E muitos de nós nem sequer temos essa responsabilidade social e econômica com esse país. Política? pfff... Nossas cabeças continuam tão vazias de política quanto há 20 anos atrás. Há uma inércia fortíssima e anestesia geral da classe média. Somos nós que damos esmola pro mendigo que na outra esquina ele pode nos assaltar.


"Verás que o filho teu não foge á luta" é um dos exertos do nosso hino nacional. Francamente, nem mesmo aqueles que tem educação de alto nível nesse país acredita que, se um dia tivermos uma guerra haverá realmente "voluntários" para lutar pela nossa pátria. Acho ainda mais difícil alguem com esse mesmo nível cultural compreender e aceitar com seriedade o que o nosso hino tem a dizer.


É, classe-médias como nós levamos o país sob nossas costas com impostos cada vez mais elevados e uma paciência budista. Mas talvez quem sabe, o Brasil não mais exista, a classe média estará toda fugida.

14 comentários:

Fells disse...

Acho o contrario, que nós de nivel superior deviamso abraçar o Brasil sabe, não acho que mudar daqui vai resolver alguma coisa.. vc sabe disso, sabe q eu defendo esse ponto de vista, acredito que por mais q a genet saiba o quanto tah ruim quem pode melhorar somos nós, se nãopara a nossa geração pelo menos pras próximas!!

garotinho da somalia disse...

Amigo eu concordo contigo o Brasil precisa de um milagre para melhorar
e nao vai ser o povo brasileiro que vai mudar issu
pq o povo brasileiro ainda tem cabeça de COLONIA
mas
n vou dicutir issu pq eu nem sou brasileiro
hahaha
e eu to pouco me fodendo pra esse lixo aqui
eu soh sinto pena por o territorio aqui eh provido de muitos bens que seriam fundamentaia para outras potencias
e ate mesmo pro proprio brasil
mas eh uma questao bem dificil esta
parabens pela critica
beijon amore

A.J. MARTIN disse...

Não sou contra as pessoas que vão buscar os "dreams" em outros lugares; muitas profissões não tem o menor valor em grande parte do Brasil e se a paixão por ela for realmente forte, a única solução é pular pra outro ninho. Mas também acredito que o Brasil será mudado pelos adolescentes de hoje. Vejo pela minha irmã, que entende mais de política do que eu e tem um consciencia dos problemas do país tanto quanto meus pais! Claro que existem as olvelhas negras (nem tudo são flores!), mas ainda há esperança!

talvez? disse...

Olha, com certeza nao foi a Fells que escreveu isso, foi o luke. Então, eu sou um dos que já está se preparando para buscar o dreams, morei fora também e gostei muito da argentina, aqui do lado, é. Pelo menos lá as coisas estão melhores ao meu ver, não é uma maravilha, mas voces sabem né. O país nosso é bom, mas minha vida é melhor. Eu entendo um pouco de politica e bastante de economia, e faço parte do rotary club, portanto realizado trabalhos sociais. E mesmo tendo tanta consciencia e influencia no país, eu digo, isso aqui não passa disso. ;) parabens cara ficou mto bom o texto, abraços!

talvez? disse...

Só um detalhe, meu filho, não nascerá aqui, NUNCA, NUNCA! ;) obrigado.

idvidal disse...

esse assunto sem dúvida eh bastante polêmico, e foi corajoso do autor abordá-lo. Parabéns pelo bom texto, que, independente da opinião de quem lê, está muito bem escrito.

Wagner disse...

Eu tenho esse medo as vezes, de não conseguir um emprego depois de formado. Mas continuo tentando, não porque sou brasileiro e não desisto nunca, mas sim porque a esperança é a última que morre.

Monsieur Coçard disse...

o que realmente precisa acontecer é formatar esse país... o que aconteceria aos políticos se o povo resolvesse arrastar essas merdas pelas ruas? acho que se as leis fossem realmente fossem iguais para todos, educação fosse prioridade acho que uns 80 anos começaríamos a entrar nos eixos...

que fixação o pessoal desse blog tem em classe-média hein? :)

abraços

Pankwood disse...

Quanto a isso eu estou tranquilo, já disse para minha namorada: "Se tudo der errado agente abre uma igreja !"

-Manu- disse...

Ópá
Sou a prova viva! Estou aqui formada e especializada, e o mercado qndo não me oferece um salário ridículo ao extremo me pede 5 anos de experiência!
Mas q puta merda!
Acho q a idéia mais conveniente é abrir uma igreja, como disse o pankwood!

Luuuuke ótimo texto queridooo!!

Junior disse...

não devemos desistir nunca... somos capazes de enfretar até nosso pior inimigo, Deus nos da força para tudo, mais deixamos as boas ações de lado um poco e fassamos a diferença para nos mesmo...
abrax e bjux

o Cronista disse...

Infelizmente parte d q vc disse eh verdade,

mas lembre-se q sempre ha vagas para bons profissionais...

a facu eh templo da construção da carreira,
passar o tempo todo bebendo e desinteressado naum jauda, no final...

mas boa sorte pra todos nós!

Robson Perdigão disse...

Luke, bom texto. Gostei mesmo!
Mas discordo no ponto de deslocar-se do Brasil. Se tem alguém capaz de mudar algo, esse alguém somos nós. Pois realmente se tem alguém a par da situação , somos nós. Migrar do país até resolveria, mas quem não pode realizar tal ato? Como ficaria nessa?
Temos que pensar sim nas próximas gerações, porquanto evoluir essa é meio improvável.
Abraços rapaz! E ressalto dizendo novamente que é um ótimo texto!

Ariane disse...

Isso sem falar na violencia que se mostra ainda maior com o que uma amiga minha chama de "complexo de emigrante", ou seja, ja temos medo de viver no Brasil estando no Pais, voltar eh ainda mais dificil. Eu tenho ferias marcadas e chego a ter sonhos violentos sobre as minhas ferias... Voltar pra morar depois da tranquilidade que tenho aqui? Financeira e pessoal, I'm sorry, posso ter banana, mas o orgulho acabou ai...