segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Enquanto esperam...


Eu queria me referir ao tanto de paranóias que certas pessoas sentem quando estão perto de mim. É incrível que depois de vários acontecidos na minha vida, quem é vivo, aparece. E apareceu mesmo, querendo por tudo, me fazer sentir menos ou pior do que já quis, porém, todas as vezes o acusador se frustra, o monstro se assume e a verdade que não é plena, entra em evidência.

Já tive vários vícios, larguei de alguns, mas o de tentar entender as relações humanas ainda me persiste na mente como algo que eu deva aprender a doutrina do bem estar psicológico. De repente você se vê um dia com um amigo, depois aparece com 3, 4, 10 e ás vezes anda sozinho na rua à noite. O ser humano é, sem dúvida, um ser solitário, e em algum lugar desses me disseram que cada um de nós, indivíduos, nasceremos sós e morreremos sós também.

Enquanto isso eu aproveito o tempo precioso da minha estadia por esse ambiente e interajo com os outros passantes dessa vida que parece nunca terminar. É, ás vezes, tarde, ás vezes cedo, continuar a longa jornada ou expirá-la por causa de segundos, terceiros e quase sempre por si próprio.

Mas a alegria da vida está por aí, e com ela você se vê, muitas vezes, acompanhado. Posso bem dizer que no momento de vida em que passo estou muito bem acompanhado e munido de amigos imprescindíveis. Sabe quando você se sente confortável com a vida que leva, porque você tem um amor profundo que é recíproco, amores de amigos e auto confiança? Talvez isso seja uma das definições do que é alegria, ou em maior extensão, da felicidade. Espero eu que esse sentimento não se extenda apenas á mim, mas que possa representar alguma razão pra continuar pra várias outras pessoas, especialmente as que eu tenho afeto. Até mesmo aos meus desafetos.

Aos meus desafetos, já passou toda a raiva, angústia e sentimento de injustiça que eu sentia por vocês. Espero que também encontrem algum certo tipo de felicidade na vida e parem de se maltratar, como muitos que eu conheci fazem, através de apelações, sentimentalismos e falta de amor próprio. Não tem nada de clichê em ainda conseguir enxergar as coisas pelo copo metade cheio. E Amem, amem muito, amem o que façam pelo bem e amem os outros sem pedir nada em troca. Talvez um sorriso aqui ou ali, um abraço... Não existe coisa melhor que acordar um dia desses com leveza, equilíbrio... Nada melhor que ser alguém importante para outro alguém. Nada melhor que amar.

4 comentários:

Fells disse...

cada dia escrevendo melhor e dizendo mais coisas importantes

Manu =D disse...

é verdade, tá escrevendo melhor!

haha
sempre vou dizer isso!

tá demais

dimmyfutilidades disse...

Ah, o amor resolve tudo =)

Pra mim, ter uma personalidade única significa ser individualista ao ponto de terminar sozinh@. Deve ser por isso que a maioria d@s grandes artistas sempre terminam dançando de rosto colado com a solidão.

Mas, encontrar um grande amor resolve tudo! Resolve mesmo! É indissolúvel total e pra sempre total. Como diria o Flea: O amor é a coisa mais punk do mundo!

Wish u luck =)

Amélie disse...

Hey...Mas que saudades de vc depois desse textículo...